Repelente de citronela caseiro



No verão, os seres humanos viram alvo perfeito dos mosquitos, incluindo o Aedes aegypti, a mosca, piolhos, pulgas e as formigas. Um bom repelente químico nesta época do ano pode custar de R$ 10,00 a quase R$ 70,00 dependendo da marca do produto e da região onde são comercializados.


O repelente caseiro pode ser uma boa opção para as pessoas que não dispõem de muito dinheiro para gastar, mas necessitam se proteger destas pragas. 


A citronela, Cymbopogon nardus ou Cymbopogon winterianus é uma planta medicinal com propriedades repelentes para insetos, além de ser bactericida, calmante e aromatizante muito utilizada na produção de cosméticos.


Para fazer um REPELENTE CASEIRO DE CITRONELA, você vai precisar de:

150 ml de glicerina líquida

150 ml de tintura de citronela

350 ml de álcool

350 ml de água

Misture todos os ingredientes e armazene-os em um recipiente escuro. O repelente caseiro deverá ser passado na pele sempre que a pessoa estiver em lugares com risco de água parada, falta de saneamento básico, mata ou em qualquer outro local em que estiver em contato com qualquer tipo de inseto.

O repelente caseiro pode ser utilizado em crianças, adultos e gestantes, e deve ser aplicado de 3 em 3 horas.


O efeito repelente da citronela também pode ser utilizado na LIMPEZA de calçadas, janelas e no chão, basta apenas fazer um chá com as folhas da planta e aplicar diretamente nestes locais.


As VELAS feitas de citronela também são excelentes como repelentes. Aprenda a fazer as velas caseiras:

Parafina

Formas para moldar as velas

Essência de citronela

Panela para derreter a parafina

Colher de pau para mexer a mistura

Pavios com parafina

Luvas descartáveis

Para preparar você vai começar derretendo a parafina em uma panela, depois de derretida coloque uma parte da essência. Use para cada 10 partes da parafina 1 parte de essência. Misture bem. Coloque a parafina no molde das velas com o pavio no meio.

Deixe as velas secarem por 24 horas e depois desenforme dando pequenas batidas no fundo do molde para soltar.  

Como fazer picolé caseiro com pedaços de fruta


Verão 40º C exige que o corpo fique muito bem hidratado, nada melhor do que quando unimos frutas da estação com sorvete. As principais frutas da estação verão são as seguintes:

Melancia:


Rica em água, magnésio, vitamina A, B6 e C;


Melão:


Rico em água contém vitamina A, C, potássio e fibra;

Damasco:


Rica em vitamina C, fibras e beta-caroteno;

Cereja:


Possui alto teor de fibra auxiliando o bom funcionamento do intestino, além de ser fonte de ferro, cálcio e vitaminas A, B e C;

Manga:


Rico em água, zinco, sódio, ácido ascórbico, vitamina C, fibras, entre outros;

Ameixa:


Rica em potássio e vitamina A;

Framboesa:

Possui fibras, vitamina C, cálcio, potássio, magnésio e ferro;

Morango:


Contém vitamina C e B9, ferro, potássio, entre outros;

Carambola:


Rica em sais minerais, fonte de vitamina A, C e do complexo B e antioxidante.

Sorvete com pedaços de frutas – passo-a-passo


Ingredientes:

Suco de 03 laranjas ou água de coco natural

Pedaços de frutas da estação

Preparo:

Coloque os pedaços de frutas picados dentro das formas de picolé e coloque água de coco ou o suco de laranja até preencher. Espete os palitos e leve ao congelador ou freezer até gelar (em média 06 horas). Rende 6 picolés.


Geladinho, sacolé, chup chup, gelinho...



No calor não há nada mais refrescante do que um geladinho, dependendo da região pode receber diversos outros nomes, tais como chup chup, sacolé, gelinho, juju, din din, entre outros. Vamos aprender a fazer três receitas simples, fáceis e baratas de geladinho, e aproveitar as altas temperaturas do verão para ganhar um dinheirinho a mais com sua venda.


Geladinho econômico de chocolate

Ingredientes:

01 litro de leite
06 colheres cheias de achocolatado adoçado

Preparo:

Bata tudo no liquidificador e encha os saquinhos com o preparo deixando um espaço para fechá-los através de nó. Leve ao congelador todos os geladinhos em forma de plástico para ficarem esticados por 06 horas.

Geladinho de suco de frutas

Ingredientes:

01 litro de água
01 saquinho de suco de qualquer sabor de frutas

Preparo:

Misture tudo e encha os saquinhos com o suco e encha os saquinhos com porções de suco feche-os com um nó e leve ao congelador por 6 horas. Não esqueça de colocar os saquinhos em uma tigela para deixá-los esticados.

Geladinho azul

Ingredientes:

01 litro de leite
02 colheres (sopa) cheias de pó azul para sorvete
04 colheres (sopa) de açúcar

Preparo:

Bata todos os ingredientes no liquidificador e coloque em saquinhos, o processo é o mesmo dos demais.

Sustentabilidade: “Telhados de garrafa PET”


Marisa Fonseca Diniz

O que conhecemos como PET nada mais do que uma resina, ou seja, um poliéster, polímero e termoplástico conhecido também como tereftalato de etileno. O PET é mais resistente que o plástico para a produção de garrafas, frascos e embalagens para alimentos, produtos de higiene, cosméticos e limpeza.

O PET proporciona uma larga resistência mecânica e química, pois suporta melhor o contato com os agentes agressivos, além de ser uma excelente barreira contra odores e gases. Outra vantagem é que o PET tem demonstrado ser mais resistente para a indústria de bebidas por reduzir o custo de produção e transporte.

A partir da década de 1990, as embalagens PET trouxeram diversos problemas ao meio ambiente devido o descarte em rios e na natureza de maneira abusiva. O mesmo material que proporcionou economia as empresas de embalagens causou poluição ao meio ambiente. O PET demora 750 anos na natureza para decompor. Sendo assim surgiu a necessidade de reciclar o material dando uma nova funcionalidade ao material.


A vantagem da reciclagem do PET é que além de favorecer o meio ambiente também gera empregos nas cooperativas de catadores de lixo reciclável. A poluição do meio ambiente diminui e o material acaba voltando à cadeia produtiva.

Pensando no meio ambiente, a permacultura decidiu dar uma nova finalidade as garrafas PET, que é o reaproveitamento do material para a confecção de telhados no setor da construção civil. As garrafas PET são cortadas de maneira a se encaixarem uma nas outras formando o telhado. O telhado de PET tem diversas funcionalidades além de cobertura são utilizadas como painéis solares, e coletam a água da chuva para reuso.


A garrafa PET também serve de matéria-prima para  produção de telhas, apesar do custo de produção ser mais elevado do que as telhas convencionais de cerâmica, os benefícios ecológicos compensam pela retirada do material da natureza.


Os benefícios na utilização da garrafa PET como matéria-prima na produção de telhados residenciais é a economia de petróleo e energia gasta no processo produtivo. A telha de garrafa PET oferece maior resistência do que a telha de cerâmica por ser mais leve, e suportar melhor as altas temperaturas.


Para fazer um telhado de garrafa PET basta seguir os seguintes passos:



1) Corte o fundo e o bico da garrafa, formando um cilindro.

2) Corte o cilindro ao meio, criando duas partes iguais;

3) Vire um dos lados com o côncavo para cima e o outro lado com o côncavo 
para baixo, formando um S.

4) Use um grampeador de marceneiro para uni-las;


5) Encaixe quantas telhas foram necessárias para criar o telhado que você precisa.


Este tipo de telhado de garrafa PET não exige uma estrutura de madeira cara e pesada como a utilizada para as telhas convencionais de cerâmica, viabilizando desta maneira a utilização do material. Com um pouco de criatividade e consciência sustentável tudo pode ser reaproveitado. O que construímos hoje beneficiarão várias pessoas no futuro.


Faça a diferença, estude!



 O mercado de trabalho anda cada dia mais competitivo, ainda mais agora com a crise política e econômica pela qual o país vem passando, e quem não se atualizar terá menos chances de conseguir uma boa recolocação ou acompanhar as novidades do mercado da construção civil.

Aqui vão alguns cursos para quem quer fazer a diferença no setor da construção civil, basta acessar os links.
Veduca – Engenharia

Veduca – Arquitetura

Veduca – Meio Ambiente

EDX - Engenharia

EDX – Energia

EDX – Arquitetura

EDX – Meio Ambiente

Coursera – Engenharia

Coursera – Arquitetura

Coursera – Energia

Puc/RS – Sustentabilidade

Futurelearn – Meio Ambiente

Futurelearn – Energia

Futurelearn – Sustentabilidade

Unieducar – Arquitetura

Cursos on line gratuítos da construção civil



Pensando em fazer um curso de atualização na área da construção civil, mas está sem dinheiro? Saiba que é possível fazer ótimos cursos de atualização sem gastar nada, via on line ou presencial, e muitos cursos fornecem o certificado.

Há outros cursos na área que não são gratuitos, mas são ótimos e podem ser feitos via EAD e com certificação.


Vale a pena acessar os links e se inscrever:

Via Rápida

Senai

CEC

Portal Educação

Sinduscon

Portal Satc

IETEC

Cursos Virtuais

Curso online

Curso online SP

Alitec

Jardim nas alturas


O que fazer com aquele espaço vazio no alto dos prédios? Que tal fazer um jardim nas alturas e colaborar com o meio ambiente?


Vamos conhecer algumas ideias de como montar um jardim diferente, seja na laje da casa ou no topo de um edifício.







Passo a passo de como fazer um telhado verde em uma laje de concreto impermeabilizada.

A laje precisa ser de concreto e ter uma inclinação de mais ou menos 1,5% para escoar a água da chuva pelo ralo;

Deve ser aplicada uma manta asfáltica para impermeabilizar a laje, que precisa ser virada e subir pelas bordas com até 40 cm de altura. Em seguida cubrir o local com concreto;

Utilize um rodo para espalhar argila expandida sobre a laje já seca criando uma camada uniforme de mais ou menos 7 cm de espessura;

Em seguida estique bem a manta de Bidim sobrepondo uns 10 cm uma sobre a outra. Em cima desta manta espalhe uma camada de substrato de mais ou menos 7 cm;

Em seguida sobre o substrato coloque placas de grama de forma que não encoste nas laterais da parede, se houver, preenchendo esse espaço com argila expandida para facilitar o escoamento da água e evitar a infiltração;


Durante as primeiras semanas a grama deve receber bastante água para uma melhor adaptação.





Criatividade é tudo!

Quais materiais são reciclados?


Marisa Fonseca Diniz

No Brasil são coletadas 188,8 toneladas de resíduos sólidos, sendo que cada brasileiro produz por dia uma média de 1,1 quilogramas de lixo. A preocupação com o  meio ambiente e a quantidade de gases produzidos com os lixões fez com que, o processo de reciclagem fosse utilizado como forma de aproveitamento dos resíduos sólidos orgânicos e inorgânicos. A reciclagem reduz a necessidade de extração de matéria-prima diretamente da natureza. Saiba quais materiais são reciclados:

Plásticos: copos descartáveis, garrafas, sacos, sacolas, frascos de produtos, brinquedos, baldes, tampas, potes, canos, tubos de pvc, embalagens pet e plásticos em geral.

NÃO É RECICLÁVEL: cabos de panelas, adesivos, acrílico e raio x.



Metal: tampinhas de garrafas, latas de alumínio e aço, enlatados, panelas sem cabo, ferragens, arames, chapas, canos, pregos, marmitex, chapas, cobre e cantoneiras.


NÃO É RECICLÁVEL: esponja de aço, latas de verniz e latas de produtos tóxicos.



Papel: jornais, revistas, listas telefônicas, papel sulfite, papel rascunho, tetra pak, folhas de caderno, formulários de computador, aparas de papel, caixas de papelão, envelopes e cartazes velhos.


NÃO É RECICLÁVEL: etiquetas adesivas, papel carbono, fita crepe, papel celofane, papel metalizado, papel higiênico, papel parafinado, papel de fax, papel plastificado, guardanapos, fotografias, papel engordurado ou com resto de comida e bitucas de cigarro.



Vidro: garrafas, potes de molhos e conservas, embalagens, frascos de remédios, copos, cacos e pára-brisas.


NÃO É RECICLÁVEL: lâmpadas fluorescentes e comuns, espelho, ampolas de remédio, vidros temperados, louças, cerâmicas, óculos, pirex, porcelanas, vidros especiais como tampa de forno e microondas, tubo de TV.




O luxo do mármore travertino


Marisa Fonseca Diniz


O mármore é um calcário metamorfizado e recristalizado, onde há uma variedade de cores, que dependem da composição mineralógica e das estruturas presentes. A classificação dos tipos de mármores leva em consideração a cor predominante, sendo as mais freqüentes bege, branco, cinza-escuro, azul com fundo escuro, fundo róseo entre outros.

O travertino é um mármore composto de calcita, aragonita e limonita com bandas compactas e paralelas entre si, nas quais são observadas pequenas cavidades onde predominam tons de branco, verde ou rosa, apresentadas com marcas de ramos e folhas conhecidas pelo nome de tufocalcário. Há grandes pedreiras deste tipo de rocha no México, Turquia e Peru, mas as variedades mais famosas são as italianas, sendo as de Tivoli as mais procuradas.

O mármore travertino foi muito utilizado em tempos antigos, principalmente na arquitetura romana para a construção de monumentos famosos, tais como: a Basílica de São Pedro, o Coliseu, Arco de Constantino e Teatro de Marcelo. O travertino por ser de cor clara e fácil de ser esculpido se tornou uma matéria prima muito popular na construção e decoração de prédios públicos da época romana.

Atualmente este tipo de mármore é muito utilizado para o requinte de ambientes domésticos e comerciais, sendo utilizado na decoração de paredes, pias, estantes, mesas, banheiros, cozinhas entre outros.

Vejamos algumas utilizações deste material que deixam o ambiente com um toque de luxo e requinte:

Escadas




Banheiros




Lareira





A criatividade das cubas


A criatividade das cubas das pias de lavabo e banheiro, que realçam o charme dos ambientes, além de dicas de acessórios decorativos faze toda a diferença em uma casa.

Cuba de pia de aquário




Cuba de pia design lemon



Cuba de pia design moderno







Cuba de pia design decorada



Cuba de pia de inox



Cuba de pia de vidro


Cuba de pia de acrílico